Atlas do SiBBr integra dados de quase 100 instituições sobre biodiversidade nacional

Sistema lançado nesta terça-feira facilita pesquisas e faz parte de uma plataforma internacional de informações de biodiversidade presente em 60 países
por ASCOM - publicado 28/08/2019 10h23. Última modificação 28/08/2019 10h30.

ASCOM/MCTIC

ASCOM/MCTIC

O secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTIC, Marcelo Morales, ressaltou o caráter aberto e gratuito da plataforma e afirmou que o futuro do Brasil está na preservação da biodiversidade.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a ONU Meio Ambiente Brasil e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) lançaram nesta terça-feira (27), em Brasília, o Atlas do Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr). A atualização da plataforma integra coleções biológicas de 97 instituições de pesquisa e museus nacionais e facilita a busca e compartilhamento dos dados com outros países.

O secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTIC, Marcelo Morales, ressaltou o caráter aberto e gratuito da plataforma e afirmou que o futuro do Brasil está na preservação da biodiversidade. “Estima-se que o Brasil abrigue de 10% a 20% das espécies da biodiversidade mundial. A disponibilização desses dados é fundamental para desenvolver economicamente o país. O nosso futuro está na biodiversidade. Preservar é manter o futuro que o Brasil tem”, afirmou.

A representante da ONU Meio Ambiente Brasil, Denise Hamú, explicou a complexidade do projeto, que foi customizado para a realidade do país, e destacou que ainda há um caminho longo para incluir informações na plataforma. “O que a gente percebe, pela diversidade do país, é que esses dados não chegam a 20% da biodiversidade que se espera ter no Brasil. Então, do ponto de vista científico, abre-se um campo enorme de pesquisa com o uso dessas informações”, relata.

Já o diretor-geral da RNP, Nelson Simões, lembrou que a infraestrutura da entidade já conecta universidades, institutos de pesquisa, museus, hospitais de ensino e apontou que o SiBBr é mais uma ferramenta para acrescentar valor à pesquisa nacional. “Nós vemos o SiBBr como parte de um conjunto valioso de informações de nossas instituições e dos pesquisadores que têm se dedicado a entender a biodiversidade brasileira e coloca-la à disposição das pessoas”, pontuou.

Atlas

Criado em 2014, o SiBBr é o banco de dados de referência do governo brasileiro sobre a biodiversidade nacional e traz coleções biológicas de 97 instituições com dados  de 160 mil espécies e mais de 15 milhões de registros de ocorrências em todo o país. A nova plataforma é baseada no Atlas of Living Australia (ALA) e facilita a indexação, integração e visualização de informações da biodiversidade.

O SiBBr também atua como “nó brasileiro” da Plataforma Global de Informação sobre Biodiversidade (GBIF), que traz dados de quase 60 países.  As informações podem ser acessadas de forma livre e gratuita pela sociedade, pesquisadores e tomadores de decisão. As ferramentas de busca permitem acesso a informações sobre espécies, coleções biológicas e ocorrências por geolocalização.

A plataforma pode ser acessada pelo site https://www.sibbr.gov.br

O evento de lançamento do Atlas também teve palestras de Braulio Ferreira Dias, do Departamento de Ecologia da Universidade de Brasília; Cléverson Rannieri, da Coordenação de Zoologia do Museu Emílio Goeldi; Francine Leal, da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec); e do diretor-adjunto de Soluções da RNP, Antônio Carlos Fernandes.

Confira as fotos do evento em nosso Flickr, clicando aqui.

Voltar ao topo