Audiência pública do Senado em segurança cibernética tem participação do MCTIC

O papel de formulação de políticas públicas para telecomunicações e de apoio à transformação digital são destaques da atuação do ministério
por ASCOM - publicado 28/08/2019 15h46. Última modificação 28/08/2019 15h48.

ASCOM/MCTIC

ASCOM/MCTIC

Representando o ministério, a diretora do Departamento de Serviços de Telecomunicações, Miriam Wimmer, destacou o duplo papel do MCTIC

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) participou nesta quarta-feira (28) de um debate sobre segurança cibernética na Comissão de Ciência e Tecnologia no Senado Federal. A audiência pública atende a um requerimento do senador Jean Paul Prates (RN), que também presidiu a sessão, com o objetivo de obter informações de especialistas para que os parlamentares possam atuar no tema de segurança do ambiente virtual.

Representando o ministério, a diretora do Departamento de Serviços de Telecomunicações, Miriam Wimmer, destacou o duplo papel do MCTIC. O primeiro é criar e apoiar um ambiente favorável para a transformação digital no Brasil, que é um processo global e traz profundos impactos. A diretor cita o trabalho desenvolvido pelo ministério na Estratégia Nacional de Transformação Digital e destaca, nesse caso, o item que trata da confiança no ambiente digital, fundamental para que a transformação ocorra.

“Sem confiança, não há transformação digital”, afirmou. “Se eu não sinto que posso usar internet banking, digitalizar meu negócio, usar meu smartphone com segurança de que os dados estão protegidos, ela não ocorre.” A diretora destacou que o MCTIC tem teido a oportunidade de trabalhar de forma conjugada e harmônica com outros órgão que tem liderança no tema, como o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Pesidência da República, o Ministério Público e o Ministério da Defesa.

O outro papel do ministério citado pela diretora é o de formular políticas públicas para o setor de telecomunicações e, com a iminente chegada da tecnologia de redes 5G, a massificação da Internet das Coisas e seus impactos na sociedade e na economia, a segurança cibernética e a proteção de dados são cada vez mais importantes.

“O 5G vai trazer uma nova camada de vulnerabilidades, com o aumento de dispositivos conectados”, informou a diretora. “A rede muda qualitativamente em relação ao 4G, e aumentam os desafios para protegê-la.”

Participaram do debate com os senadores, além do MCTIC, representantes do GSI, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), e de empresas e associações do setor privado, além da interação com o público por meio de canais digitais.

A íntegra da audiência pública está disponível no link: https://www.youtube.com/watch?v=01qDVnbyT0g

-

 -

 

Voltar ao topo