MCTIC assina repasse de recursos para o Instituto Mamirauá

A organização social é a primeira a receber repasses financeiros na nova gestão
por ASCOM - publicado 29/05/2019 14h55. Última modificação 30/05/2019 12h52.

Marcelo Ismar Santana

Marcelo Ismar Santana

Cigana (Ophistocomus hoazin)

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações , Marcos Pontes assinou hoje (28) Termo Aditivo que repassa o valor de R$ 2,6 milhões para o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, Organização Social vinculada ao órgão. O repasse é proveniente do esforço do Ministro para descontingenciar cerca de 90% do orçamento do contrato de gestão existente entre o MCTIC e o Instituto.

Durante a Sessão Especial em homenagem aos 20 anos do Instituto Mamirauá, realizada ontem, no Plenário do Senado Federal, o secretário-executivo do MCTIC, Júlio Semeghini anunciou que o contrato já estava na mesa do Ministro Marcos Pontes para ser assinado.

João Valsecchi, diretor-geral do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá ressaltou que o Ministro tem um compromisso muito grande com a missão institucional do IDSM, com a missão Mamirauá. “Ele de fato está preocupado com a implementação das ações, e tem se empenhado para fazer essa reposição orçamentária não só do Instituto Mamirauá, mas de todas as organizações sociais supervisionadas pelo Ministério”, disse o Diretor, durante a assinatura do Termo.

Mamirauá

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá foi criado em abril de 1999. É uma Organização Social fomentada e supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Desde o início, o Instituto Mamirauá desenvolve suas atividades por meio de programas de pesquisa, manejo de recursos naturais e desenvolvimento social, principalmente na região do Médio Solimões, estado do Amazonas.

Os objetivos do Instituto Mamirauá incluem a aplicação da ação de ciência, tecnologia e inovação na adoção de estratégias e políticas públicas de conservação e uso sustentável da biodiversidade da Amazônia. Também abrangem a construção e a consolidação de modelos para o desenvolvimento econômico e social de pequenas comunidades ribeirinhas por meio do desenvolvimento de tecnologias socialmente e ambientalmente adequadas.

Os 20 Anos do Instituto

O diretor do Instituto Mamirauá, João Valsecchi destaca que o IDSM tem muito o que comemorar nesses 20 anos de existência. Segundo ele, além do conhecimento gerado ao longo desse tempo, a ação do Mamirauá tem um efeito direto na vida das pessoas e na conservação da biodiversidade.

Valsecchi citou um exemplo que era comum na região, a evasão das pessoas em busca de saúde, educação, trabalho, e que hoje está acontecendo o processo inverso, a população local retornando para a área da unidade, porque lá é possível realizar manejo de recurso natural com o assessoramento técnico da Instituição, o que gera renda para as pessoas da comunidade. “O impacto é visível, ele é mensurável, a gente mede isso”, comemora.

“Não é uma missão que está no papel, é uma missão que a gente vê acontecendo no dia-a-dia, na prática. Então, temos muito de fato o que comemorar”, disse o representante do Instituto.

 

 





Voltar ao topo