Ministro Marcos Pontes ressalta importância estratégica da ciência e tecnologia para o país

Durante cerimônia de transmissão de cargo, ministro defende que ciência e tecnologia sejam ponta de lança do desenvolvimento do Brasil. 
por ASCOM - publicado 02/01/2019 16h27. Última modificação 02/01/2019 16h31.
Ministro Marcos Pontes ressalta importância estratégica da ciência e tecnologia para o país

Cerca de 500 pessoas prestigiaram a cerimônia de transmissão de cargo ao ministro Marcos Pontes. Foto: Ascom/MCTIC

O astronauta Marcos Pontes assumiu nesta quarta-feira (2) o cargo de ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e deu uma diretriz clara: a partir de agora, a missão é fazer com que a ciência e a tecnologia sejam propulsoras da melhora da qualidade de vida da população e do desenvolvimento do país.

“Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro por ter me escalado para mais essa missão pelo país. Recebemos uma grande responsabilidade, que nos foi dada por milhões de pessoas. Nossa responsabilidade à frente do ministério é ajudar a construir um país melhor. A tecnologia é transversal, está em todos os lugares, está na qualidade de vida das pessoas. Ela funciona como a ponta de lança do desenvolvimento, e nós somos os responsáveis por torná-la uma melhor ferramenta para o sucesso do país”, afirmou Pontes.

Cerca de 500 pessoas prestigiaram a cerimônia de transmissão de cargo ao ministro Marcos Pontes. No discurso, ele ressaltou o diálogo com o Congresso Nacional e a sociedade para mostrar a importância da ciência para o Brasil. “Acho importante que percebam a importância estratégica da ciência e tecnologia e nos ajudem a conduzir esses trabalhos, a ter o orçamento adequado para que a ciência e tecnologia deem a sua contribuição. Educação, ciência e tecnologia são estratégicas para mudar o país, para que alcancemos o patamar que sonhamos para o Brasil”, disse.

Antes da cerimônia, Pontes concedeu entrevista coletiva aos jornalistas em que defendeu a adoção de modelos de investimentos em inovação adequados a cada região do país. Segundo ele, é preciso respeitar as características e vocações locais para fomentar o desenvolvimento tecnológico e a inovação. Dessa maneira, o investimento privado em pesquisa também será ampliado. “Queremos construir um modelo que a gente possa replicar em vários locais do país e que possa ser adaptado de acordo com a vocação local. O Brasil é muito grande, com vocações diferentes, e isso vai motivar as empresas a investirem nessas regiões, desenvolvendo tecnologias que sejam interessantes para elas nessas áreas.”

Ainda na entrevista, ele avaliou que a expansão do acesso à internet banda larga é um dos desafios de sua gestão. “Temos um país muito grande, com regiões remotas e que precisam dessa tecnologia. Levar banda larga é importante para as escolas, para as famílias e para trazer as pessoas para o dia atual, em termos de tecnologia."

Equipe

Na cerimônia, o ministro Marcos Pontes apresentou os secretários que vão integrar a equipe do MCTIC. O engenheiro Júlio Semeghini é o secretário-executivo, enquanto o médico Marcelo Marcos Morales assume a Secretaria de Pesquisa e Formação. Já Paulo César de Rezende Carvalho Alvim é o secretário de Empreendedorismo e Inovação, enquanto o brigadeiro do ar Antonio Franciscangelis Neto fica na Secretaria de Planejamento, Cooperação, Projetos e Controle. O coronel do Exército Brasileiro Elifas Chaves Gurgel do Amaral assume a Secretaria de Radiodifusão, e o advogado Vitor Elísio Góes de Oliveira Menezes é o secretário de Telecomunicações.

Trajetória

O astronauta Marcos Pontes nasceu na cidade paulista de Bauru em 11 de março de 1963. É engenheiro aeronáutico, formado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), mestre em engenharia de sistemas e piloto de testes de aviões com mais de 2 mil horas de voo em 25 tipos de aeronaves, incluindo F-15 Eagle, F-16 Falcon, F-18 Hornet e Mig-29 Fulcrum.

Membro da turma de 1998 de astronautas da Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa), Marcos Pontes é o único brasileiro a ter ido ao espaço. Ele também é o primeiro astronauta profissional a representar oficialmente um país do hemisfério sul no espaço. Pontes realizou a Missão Centenário, em 2006, fruto de uma parceria entre a Agência Espacial Brasileira (AEB0 e a Agência Espacial Russa (Roscosmos), trabalhando por dez dias na Estação Espacial Internacional (ISS) como especialista de missão, responsável pela manutenção dos sistemas da espaçonave e pela execução de pesquisas científicas escolhidas pela Academia Brasileira de Ciências (ABC).

Tem vasta experiência como gerente de projetos e gestor de programas, trabalhando em ações internacionais relevantes no setor aeroespacial em instituições como a Nasa, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (Jaxa), a Agência Espacial Europeia (Esa) e a empresa Boeing. Possui mais de 30 anos de experiência em gerenciamento de riscos e segurança operacional.

Com formação acadêmica e militar expressiva, Pontes é bacharel em administração pública e atua ainda como embaixador da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido), atuando principalmente em programas de desenvolvimento sustentável.

Voltar ao topo