MCTIC lança plataforma digital com informações sobre laboratórios de serviços tecnológicos

Observatório de Laboratórios de Serviços Tecnológicos reúne dados e indicadores sobre a infraestrutura laboratorial do país.
por ASCOM - publicado 28/12/2018 14h45. Última modificação 22/05/2019 09h05.

null

null

Ideia por trás do Observatório é garantir que haja um monitoramento eficiente dos investimentos feitos e uma base de dados e indicadores para auxiliar a tomada de decisões no futuro. Foto: Ascom/MCTIC

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) criou uma ferramenta para facilitar a gestão dos recursos investidos em laboratórios de serviços tecnológicos que atendem empresas brasileiras. Chamado Observatório de Laboratórios de Serviços Tecnológicos, o sistema reúne informações sobre as atividades oferecidas ao setor produtivo, além de indicadores que vão ajudar a mensurar o retorno que cada instituição dá às políticas públicas do MCTIC.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Maximiliano Martinhão, a ideia por trás do Observatório é garantir que haja um monitoramento eficiente dos investimentos feitos e uma base de dados e indicadores para auxiliar a tomada de decisões no futuro. Ele destacou ainda que a ferramenta poderá ser usada pelos órgãos de controle para a fiscalização e acompanhamento dos projetos. “Não tínhamos, até agora, indicadores confiáveis, dados objetivos e transparentes, para avaliar os resultados obtidos pelos laboratórios. Por isso, esse sistema será um divisor de águas no que se refere à gestão desses recursos”, ressaltou.

Atualmente, o Observatório de Laboratórios de Serviços Tecnológicos conta com 288 unidades cadastradas. Os dados serão usados pela Setec para atualizar a infraestrutura laboratorial do país, bem como a ampliação das competências de cada unidade. “A ferramenta permite a utilização mais eficiente dos recursos. Sempre que algum laboratório nos apresentar uma demanda por determinado equipamento, teremos condições, por exemplo, de identificar quais unidades já contam com o item demandado, se ele está em uso, se é possível haver uma parceria, um intercâmbio entre os laboratórios”, explicou a Maíra Murrieta Costa, da Setec.

Já a Coordenadora-Geral de Serviços Tecnológicos da Setec, Eliana Emediato, acrescentou que o compartilhamento de informações é fundamental para estimular o trabalho dessas instituições. “Nosso intuito é dar transparência aos investimentos e estimular parcerias, além de valorizar as unidades que trazem mais resultados, ao mesmo tempo em que vamos apoiar os centros que enfrentam mais dificuldades.”

 

Voltar ao topo