Após quatro anos de hiato, representantes do CT-Mineral se reúnem para definir prioridades

Encontro serviu para apresentações e o alinhamento de estratégias em áreas consideradas prioritárias para o setor mineral.
por ASCOM - publicado 25/10/2018 13h51. Última modificação 25/10/2018 14h01.
Após quatro anos de hiato, representantes do CT-Mineral se reúnem para definir prioridades

Reunião do Comitê Gestor do CT-Mineral foi presidida pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Maximiliano Martinhão. Foto: Ascom/MCTIC

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) recebeu a primeira reunião do Comitê Gestor do Fundo Setorial Mineral (CT-Mineral), após um hiato de quatro anos de atividades paralisadas. O encontro serviu para a apresentação de ações já apoiadas pelo CT-Mineral, a discussão de projetos em áreas consideradas estratégicas como terras-raras, agrominerais e a cadeia do lítio e a discussão sobre a construção de uma forma de apoio a micro e pequenas empresas do setor organizadas em arranjos produtivos locais (APLs).

Segundo o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Maximiliano Martinhão, a reativação da instância vai beneficiar a construção de uma estratégia para o fortalecimento do setor mineral. “Nosso objetivo é promover o debate e definir prioridades. Vamos buscar recursos para este segmento tão importante. Devemos manter o tema na pauta e já ir desenhando os futuros projetos, como a proposta de desenvolvimento da cadeia de ímãs de terras-raras no Brasil. Esse será um projeto extremamente relevante para o país”, afirmou.

Também participaram da reunião representantes do Ministério de Minas e Energia (MME); do Centro de Tecnologia Mineral (Cetem); da Agência Nacional de Mineração (ANM); da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep); do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); e do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

Apoio aos fundos

Já a diretora de Políticas de Desenvolvimento e Inovação de Tecnologias Estruturantes do MCTIC, Adriana Regina Martin, destacou que a reunião dos membros do CT-Mineral é parte de um esforço maior para retomar as atividades de outros fundos setoriais. Ela defendeu que essa ação vai fortalecer o ecossistema de pesquisa e inovação no país.

“Os fundos setoriais são importantes de apoio a projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação no país, e é importante que os Comitês Gestores desses fundos estejam sempre atuantes. Isso favorece também a criação e o fortalecimento de parcerias entre as universidades, os centros de pesquisa e o setor produtivo”, disse.

Voltar ao topo