Participação de crianças e jovens é decisiva para sucesso das ações de prevenção de desastres naturais

Campanha #AprenderparaPrevenir, criada pelo Cemaden, recebe inscrições de projetos sobre riscos de desastres até 1º de outubro. 
por ASCOM - publicado 17/09/2018 10h15. Última modificação 17/09/2018 10h23.

null

null

Alunos de escola de Mesquita (RJ) foram premiados pela campanha #AprenderparaPrevenir em 2017. Foto: Cemaden

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) recebe até 1º de outubro as inscrições para a campanha #AprenderparaPrevenir. Escolas, defesas civis e universidades de todo o país podem enviar projetos de conscientização e prevenção de desastres naturais relacionados ao impacto da ação humana nas ocorrências que envolvam excesso ou falta de água, causando enchentes ou secas.

Para a coordenadora do Cemaden Educação, Rachel Trajber, a participação de crianças e jovens na campanha é importante para disseminar informações em casa e nas comunidades em que vivem. “O envolvimento de crianças e jovens com a ciência cidadã permite desenvolver a parte científica e de percepção de riscos de desastres, estimulando ações e práticas para resolução dos problemas de redução da vulnerabilidade. Eles compartilham informações no convívio social, alertando a própria família e a comunidade para minimizar ou evitar os danos e impactos dos desastres socioambientais.”

Segundo o Cemaden, a maioria dos desastres registrados nas cidades brasileiras está relacionada com a falta ou o excesso de água, que é colocada na equação “Água [D+ ou D-] = desastre?”.

Podem ser enviados vídeos e fotos de ações de capacitação sobre a prevenção e mitigação de desastres. Entre os exemplos de ações que podem ser submetidos à campanha #AprenderparaPrevenir estão pluviômetros artesanais, além de ações de conscientização e projetos de extensão que alertam para os riscos. Ao fim da campanha, serão sorteados pluviômetros semiautomáticos e kits educacionais para os melhores projetos.

Voltar ao topo