Para ministro, AIR Center deve trazer sinergia às iniciativas sobre o Atlântico

Gilberto Kassab participa do 3º Diálogo de Alto Nível Indústria-Ciência-Governo sobre Interações Atlânticas em Cabo Verde.
por ASCOM - publicado 07/05/2018 13h16. Última modificação 02/07/2018 15h27.
Para ministro, AIR Center deve trazer sinergia às iniciativas sobre o Atlântico

Ministro Kassab defendeu a unificação de sistemas de observação em todo o Atlântico, a troca de dados, a criação conjunta de novas tecnologias e a formação de pessoal. Foto: Ascom/MCTIC

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, participou nesta segunda-feira (7) do 3º Diálogo de Alto Nível Indústria-Ciência-Governo sobre Interações Atlânticas, na cidade de Praia, capital de Cabo Verde, que vai discutir a implementação do Centro Internacional de Pesquisas Atlânticas (AIR Center).

Para o ministro, o AIR Center deve atuar como um facilitador, uma rede de organizações científicas que traga sinergia às iniciativas já existentes. Ele defendeu, por exemplo, a unificação de sistemas de observação em todo o Atlântico, a troca de dados, a criação conjunta de novas tecnologias, além da formação de pessoal.

Kassab lembrou a segunda reunião do AIR Center em Florianópolis (SC), em novembro de 2017, que fortaleceu o compromisso dos países envolvidos com a pesquisa oceânica e espacial. “Agora, estamos caminhando para a definição de projetos para implementar o AIR Center. A nossa expectativa é que possamos consolidar esses projetos nesta terceira reunião”, afirmou.

O ministro também ressaltou o resultado expressivo dos trabalhos apresentados pela delegação brasileira na primeira sessão. “Um painel em que diversas apresentações coordenadas pelo Brasil foram expostas, cujo ponto comum é a visão que todos têm da importância desse grupo e de agregar todos os países banhados pelo Atlântico o mais rápido possível.”

Após o painel, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Ricardo Galvão, apresentou as áreas em que o instituto pode colaborar para a implantação do AIR Center. “Essencialmente, o desenvolvimento de satélites para sensoriamento remoto, estudos do clima, previsão meteorológica e, também, na montagem e desenvolvimento de satélites”, disse.

O AIR Center é uma iniciativa liderada pelo governo de Portugal, que pretende utilizar o posicionamento estratégico do arquipélago dos Açores como centro de desenvolvimento científico e tecnológico sobre o oceano Atlântico.  A proposta é construir uma organização internacional, abarcando uma rede de instituições de diversos países para promoção de uma abordagem integradora do conhecimento sobre mudanças climáticas, sistemas de energia, ciências oceânicas, espaço e ciências de dados.

O programa tem como países fundadores África do Sul, Angola, Argentina, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Índia, Nigéria e Reino Unido.

A expectativa é de que o Brasil participe das pesquisas que serão desenvolvidas no AIR Center nas áreas de energia, mar, mudanças climáticas e observação da Terra.

Voltar ao topo