MCTIC apoia a criação de rede de biotecnologia na região Sul

SulBiotec engloba universidades, institutos de pesquisa e empresas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
por ASCOM - publicado 14/03/2018 19h00. Última modificação 17/05/2019 16h57.
MCTIC apoia a criação de rede de biotecnologia na região Sul

Rede de Biotecnologia da Região Sul (SulBiotec) reúne universidades, institutos de pesquisa e empresas dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Foto: Ascom/MCTIC

Com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, foi formalizada a criação da Rede de Biotecnologia da Região Sul (SulBiotec), que reúne universidades, institutos de pesquisa e empresas dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul que atuam na área biotecnológica. O objetivo do consórcio é gerar, por meio de parcerias, produtos inovadores e patentes em produção de alimentos, saúde humana e animal, cosméticos, engenharia, meio ambiente, biocombustíveis , biologia marinha, entre outras áreas.

Mais de 50 laboratórios e grupos de pesquisa participam da SulBiotec. Segundo o diretor de Políticas e Programas de Desenvolvimento do MCTIC, Fabio Larotonda, a criação da rede demonstra o compromisso da pasta em fortalecer o desenvolvimento colaborativo no país.

 “O ministério tem feito uma série de esforços relacionados às políticas de ciência, tecnologia e inovação, a fim de propiciar a transposição do hiato entre o mundo acadêmico, em que o conhecimento é produzido, e o mundo das empresas, em que o conhecimento é traduzido em produtos e serviços. A SulBiotec é um exemplo desses esforços”, afirmou.

Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) e  um dos idealizadores da SulBiotec, Odir Dellagostin aposta que o consórcio irá estimular o desenvolvimento de novos produtos biotecnológicos no Sul brasileiro.

“Acreditamos que esta rede contribuirá de forma significativa para o crescimento da biotecnologia, estreitando a relação entre as instituições de ensino e pesquisa com as empresas já existentes e, principalmente, estimulando a criação de novas empresas”, disse o médico veterinário.

Voltar ao topo