MCTIC e Huawei firmam parceria para acelerar inovações em TICs

Cooperação abrange estudos de viabilidade para a melhoria da banda larga no território brasileiro, por meio da tecnologia 5G e de redes de fibra óptica.
por ASCOM - publicado 29/12/2017 16h24. Última modificação 29/12/2017 16h29.
MCTIC e Huawei firmam parceria para acelerar inovações em TICs

Ministro Kassab destacou que parceria vai abrir caminho para a inclusão digital e social. Foto: Ascom/MCTIC

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, e o diretor-executivo da Huawei do Brasil, Wei Yao, assinaram nesta sexta-feira (29), em São Paulo (SP), um memorando de entendimento que promove a colaboração estratégica entre o governo federal e a empresa chinesa em programas inovadores de cooperação técnica e pesquisa e desenvolvimento para serviços de telecomunicações e tecnologias da informação e comunicação (TICs).

“Conectividade é um direito fundamental do cidadão e uma oportunidade indispensável de acesso ao conhecimento. Por isso, o ministério se empenha em levá-la a todo o país com o programa Internet para Todos, a ser lançado no início de 2018”, disse Kassab. “Essa parceria com a Huawei abre caminho para investimentos voltados à inclusão digital e social, a partir de estudos e recomendações que podem nos ajudar a conectar ainda mais gente.”

Wei Yao destacou que o acordo marca a proximidade dos 20 anos de atuação da multinacional chinesa no Brasil. “A Huawei está muito feliz em reafirmar sua colaboração com o aperfeiçoamento dos serviços de TICs. Estamos totalmente comprometidos em ampliar investimentos e compartilhar nosso conhecimento obtido por meio de operações em mais de 170 países e aportes contínuos em pesquisa e desenvolvimento”, afirmou.

O memorando abrange estudos de viabilidade técnica e econômica para a expansão e a melhoria da banda larga no território brasileiro, por meio da tecnologia 5G e de redes de fibra óptica. Na visão da Huawei, o acordo deve promover resultados tangíveis em serviços de TICs, como triplicar o número de residências conectadas por fibra óptica e dobrar o número de localidades de banda larga móvel no Brasil. Segundo Wei Yao, essas iniciativas podem elevar a contribuição do setor para mais de 10% do Produto Interno Bruto (PIB).

A cooperação também inclui recomendações de políticas públicas para fomentar aplicações de cidades inteligentes e seguras, a adoção massiva da computação em nuvem e a preparação do ecossistema de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), bem como a capacitação técnica de talentos de TICs.

Válido por cinco anos, o acordo determina áreas de interesse mútuo, a fim de aprofundar estudos setoriais relevantes para estimular a expansão do uso de redes e dos serviços de telecomunicações de interesse público, em benefício da população brasileira. A parceria indica, ainda, a criação de oportunidades de investimento e estímulo ao desenvolvimento tecnológico e industrial, em ambiente competitivo, de modo a apoiar o processo de transformação digital.

Voltar ao topo