Brasil e União Europeia vão apoiar pesquisas conjuntas em segurança cibernética

por ASCOM - publicado 06/12/2017 19h27. Última modificação 06/12/2017 19h33.
Brasil e União Europeia vão apoiar pesquisas conjuntas em segurança cibernética

Diretor da Sepin, Otávio Caixeta anuncia temas da 5a Chamada Coordenada em TICs. Foto: Ascom/MCTIC

Segurança cibernética, inteligência artificial e Internet das Coisas devem pautar a 5ª Chamada Coordenada em Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) para projetos brasileiros e europeus. Os temas foram definidos nesta quarta-feira (6) no 10º Diálogo Brasil União Europeia em Sociedade da Informação, na sede da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“Um tema muito caro à cooperação é a segurança cibernética, dado que ameaças aumentam todos os dias, em um tempo em que o ambiente digital está em todas as partes das nossas vidas e da economia”, explicou o diretor de Ecossistemas Digitais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Otávio Caixeta. “Os outros temas escolhidos são inteligência artificial, algo que está crescendo bastante, principalmente aliado a Big Data; e Internet das Coisas, fundamentado em redes de 5G.”

A Secretaria de Política de Informática do MCTIC (Sepin) e a Diretoria Geral para Redes de Comunicações, Conteúdo e Tecnologia da Comissão Europeia (DG-Connect) lançaram chamadas coordenadas em 2010, 2012, 2015 e 2017, com aporte total de 25 milhões de euros a 20 projetos conjuntos, a fim de apoiar consórcios de instituições científicas e tecnológicas e empresas brasileiras e europeias. Os editais inserem-se no contexto do Acordo Quadro Brasil-União Europeia de Cooperação Científica e Tecnológica, estabelecido em 2004, e do programa Horizonte 2020, voltado a pesquisa e inovação.

Na Anatel, Caixeta entregou certificados aos seis projetos aprovados na 4ª Chamada Coordenada, viabilizada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), com duração de três anos e orçamento total de 16 milhões de euros ou cerca de R$ 60 milhões. O financiamento é dividido igualmente entre os dois lados, com recursos da Lei de Informática na parte brasileira. Contratados em novembro, quando iniciaram seus trabalhos, três consórcios tratam de Internet das Coisas, outros dois de Computação em Nuvem e o sexto de redes 5G.

“Algo a se ressaltar é a marca de 10 anos dessa parceria”, disse o diretor do MCTIC. “Estamos na décima edição do diálogo, que representa a cooperação internacional mais frutífera da Sepin. Já são quatro chamadas coordenadas e milhões e milhões de reais aplicados em iniciativas com resultados expressivos.”

O dia inicial do evento concentrou apresentações de projetos do segundo ao quarto editais, em diferentes estágios. A 1ª Chamada Coordenada se encerrou em 2015 e teve como resultados uma plataforma de compartilhamento e mapeamento de dados de biodiversidade, biossensores para detecção de doenças tropicais, sensores utilizados em linha de produção automobilística e um protótipo de solução de segurança de rede adaptada para nuvem, que despertou interesse das empresas norte-americanas Amazon e Google.

Realizado anualmente, com sedes alternadas entre Brasília e Bruxelas, o Diálogo em Sociedade da Informação levanta e reformula os principais tópicos de colaboração mútua. A Anatel recebeu nesta quarta (6) três workshops temáticos paralelos em estratégias digitais, telecomunicações e pesquisa e desenvolvimento. O evento segue até esta quinta-feira (7), quando representantes governamentais debatem o presente e o futuro da colaboração bilateral.

Voltar ao topo