Para ministro, tecnologia 5G é mais um notável avanço do Brasil em telecomunicações

Gilberto Kassab participou da primeira transmissão de tecnologia desenvolvida no Brasil. Produto do Inatel deve chegar ao mercado em 2022. “É um ato emblemático, e temos o que comemorar”, disse.
por ASCOM - publicado 31/08/2017 16h14. Última modificação 31/08/2017 16h17.
Para ministro, tecnologia 5G é mais um notável avanço do Brasil em telecomunicações

Primeira transmissão do 5G no Brasil foi feita entre os edifícios que abrigam o MCTIC, em Brasília (DF). Foto: Ascom/MCTIC

O 5G vai melhorar a prestação de serviços e a qualidade de vida dos brasileiros, além de oferecer a oportunidade de internet rápida em praticamente todos os cantos do país. A avaliação é do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, que participou nesta quinta-feira (31) da primeira transmissão de tecnologia 5G desenvolvida no Brasil. “É mais um dos notáveis avanços do país em telecomunicações. Daqui a 30 anos, vamos nos recordar deste momento como nos lembramos do avanço do setor com as privatizações, 30 anos atrás.”

A demonstração da tecnologia 5G, desenvolvida pelo Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), foi feita por meio de videoconferência entre o ministro, a partir de uma unidade móvel de acesso à internet instalada no Bloco E do MCTIC, e os secretários de Política de Informática, Maximiliano Martinhão, e de Radiodifusão, Vanda Nogueira, posicionados no Bloco R, ponto da Estação Rádio Base (ERB). “É um ato emblemático, e temos o que comemorar. Estamos, neste momento, realizando essa primeira transmissão para compartilhar com todos os brasileiros esse novo modelo de comunicação”, declarou Kassab.

Segundo ele, com a nova tecnologia, o Brasil deixa pouco a desejar a qualquer país do mundo na área de comunicação. “O 5G democratiza e amplia o acesso à internet. Além disso, nos dá oportunidade de expandir a agricultura de precisão e de melhorar a qualidade dos serviços públicos, principalmente de saúde e de educação.”

O secretário de Telecomunicações substituto do MCTIC, Átila Souto, reforçou que a maior importância da nova tecnologia é o grande volume de dados que pode ser transmitido a grandes distâncias e para áreas remotas do país. Além disso, ela garante ao Brasil um assento em foros internacionais que discutem um padrão para o 5G.

Áreas remotas

A tecnologia nacional para a quinta geração de comunicação móvel foi desenvolvida pelo Inatel com o apoio do MCTIC. As pesquisas buscam a utilização da futura rede de comunicação móvel para levar o acesso à internet a áreas remotas e de baixa densidade populacional. Para isso, o Inatel desenvolveu um transceptor MIMO-GFDM Flexível, resultado de cerca de três anos de pesquisas, envolvendo mais de 30 pesquisadores do Centro de Referência em Radiocomunicações (CRR) do Inatel, criado com o apoio do MCTIC e Finep e mantido com recursos do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações  (Funttel), que investiu cerca de R$ 20 milhões no projeto.

O GFDM consegue transmitir mais dados sem causar interferência em outros usuários, tendo múltiplos serviços dentro da mesma banda e uma diversidade de aplicações que hoje não é possível com o 4G. A previsão com a rede 5G é aumentar o raio de cobertura, que atualmente é de 5 a 10 quilômetros, para 50 quilômetros, com banda larga de qualidade. O Inatel deverá continuar a fazer testes com a nova tecnologia e, em seguida, transferir a produção dos equipamentos para a indústria. A previsão é que a tecnologia chegue ao mercado até 2022.

O diretor do Inatel, Marcelo Marques, ressaltou que a tecnologia nacional de quinta geração tem potencial para superar as fronteiras da atual cobertura digital e prover o acesso universal à informação.  Ele destacou que também haverá benefícios para toda a cadeia produtiva de softwares e hardwares do país, para atender uma nova gama de possibilidades que surgirão com as futuras redes 5G.  

Marcelo Marques reforçou que o projeto é uma união bem-sucedida entre o poder público, a academia e a indústria. “O apoio do governo federal e as competências do Inatel estão possibilitando ao nosso país ficar, pela primeira vez, em posição de contribuir cientificamente e tecnologicamente com a criação de um padrão de comunicação móvel celular mundial.”

Durante a demonstração da tecnologia 5G, o secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão, disse que o projeto mostra para a sociedade os resultados da aplicação de recursos oriundos do Funttel. Já para a secretária Vanda Nogueira, a cerimônia de transmissão antecipa o sonho de permitir o acesso da população a todo o sistema de radiodifusão do país, de forma gratuita, pelo 5G.

Também participaram do evento o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTIC, Jailson de Andrade, o presidente interino da Telebras, Jarbas Valente, o representante da Finep, Fernando Ribeiro, e o conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Igor de Freitas.

Voltar ao topo